“O Porquê da Formação”

Caros casais das equipes do ECC da Catedral, alegria e paz!

Dando continuidade ao nosso tema de estudos, a partir do texto “Formação, para amar e servir como Jesus”, das Equipes de Nossa Senhora, neste mês quero refletir com vocês, algo que muito deve nos impulsionar a continuar a missão de colaboradores do anúncio do Reino de Deus: “O porquê da formação”!

Não podemos nos esquecer de que, para falar de Jesus Cristo, se faz necessário conhecê-lo. Podemos até nos perguntar: “como casais que participam do ECC, conhecemos o Cristo que anunciamos”?

Estamos diante do eixo de nossa reflexão, que poderá ter uma resposta positiva: sim, conhecemos, se nos convencermos de que se faz urgente uma busca constante de formação. Aí está o motivo pelo qual somos chamados a estar em constante formação: na oração conjugal, pela reunião mensal em equipe, pelo tema de estudo e pela participação na Palavra e na Eucaristia, vocês se permitem viver essa contínua formação.

Nós, que somos cristãos, não podemos nos esquecer de que a nossa fonte de conhecimento está em Jesus Cristo. Assim nos ensina o Concílio Ecumênico Vaticano II, ao apresentar aos cristãos leigos, que a renovação buscada pela Igreja em todos os seus membros, “pedras vivas” (1Pd 2,5), apresenta como uma conditio sine qua non o seguimento de Jesus.

Este seguimento tem sentido, quando cada casal em seu dia a dia (Nova Ortografia: sem hífen) busca viver a proposta de Jesus, em cada instância de sua vida, e como falamos do ECC, em sua equipe de casal, que é uma pequena “ecclesiae”, ou seja, uma pequena comunidade.

 Viver em pequenas comunidades sempre irá exigir das pessoas uma formação sólida, que jamais poderá ser entendida a partir de uma compreensão acadêmica, mas um aprendizado para viver a dois.

Em nossa Diocese de Jundiaí, temos inúmeras oportunidades para crescermos no conhecimento de Jesus Cristo, a partir dos núcleos formativos que visam a um conhecimento d’Aquele que anunciamos: Jesus Cristo!

Eis o mandato de Jesus: “amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei” (Jo 15,12). Aqui está o eixo central do processo formativo, o qual todos os que querem seguir Jesus Cristo devem trilhar: o amor vivido a partir de um novo olhar; o olhar de quem ama sem esperar nada em troca; o olhar d’Aquele que nos dá a oportunidade de denotar a nossa vida a partir da busca da santidade.

Assim nos ensina São João Paulo II em sua Exortação Apostólica Pós-Sinodal Christifidelis Laici, nº 58: “A formação dos fiéis leigos tem como objetivo fundamental a descoberta sempre mais clara da própria vocação”, a santidade.

Por fim, caros casais, uma coisa é fato: nos formamos para nos santificar, e pelo nosso testemunho, santificar os outros. Possamos insistentemente buscar a nossa formação, para que assim estejamos livres do vírus que nos impede de conhecer Aquele que anunciamos: Jesus Cristo!   

No Espírito de Jesus, Pe. Márcio Felipe.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

brasao-pb

© 2019 Catedral Nossa Senhora do Desterro – Jundiaí – SP
Desenvolvido por LAB Brasil Comunicação