“Em Jesus, com Maria, ter Esperança é viver em comunidade”

Amados devotos da Senhora do Desterro, alegria e paz!

Continuamos a viver tempos difíceis. No mês passado, segundo as autoridades sanitárias, aconteceu o maior número de mortos e infectados pela COVID-19, desde o início da pandemia.

Por causa desta crescente desenfreada da propagação do vírus, nos foi tirada a oportunidade de rezarmos em comunidade. Este fato deve nos chamar a atenção, pois na Novena da Padroeira 2020, na última noite, refletimos justamente sobre o tema: “Em Jesus, com Maria, ter Esperança é viver em comunidade”.

Mais do que nunca, nestes tempos que consideramos difíceis, nos vemos chamados a ter Esperança em Deus. Esperança num Deus que não está inerte ao sofrimento do povo. 

Mais um ano, nos vemos obrigados a rezar as missas sem os fiéis, ou com a presença de um número limitado de pessoas. Mesmo diante destas contrariedades, algo deve ficar muito claro para todos: não deixamos de viver em comunidade.

Sob a proteção da Virgem Maria, e repletos da Esperança que vem do céu, ficamos convictos de que, a partir de nossas “Igrejas domésticas”, se realiza na vida dos que são discípulos missionários de Jesus, o que Ele mesmo garantiu: “pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou ali, no meio deles” (Mt 18,20).  

Neste tempo pandêmico, mesmo diante dos impactos evidentes que a crise sanitária traz à humanidade, podemos, diante das indicações dadas pelas autoridades, resgatar aquilo que o Concílio Ecumênico Vaticano II nos pediu: sermos uma comunidade, povo de Deus, cristãos leigos e leigas, que supera as paredes do templo. 

Aqui a nossa afirmação não quer dizer que ir à Igreja não seja necessário. Muito pelo contrário! Quando dominicalmente, como povo de Deus, nos reunimos em comunidade no templo, cumprimos o terceiro mandamento da lei de Deus: “guardar domingos e festas”.

Obviamente que, ter celebrado uma semana santa e o tríduo pascal, pressionados pela pandemia da COVID-19, nos deixou frustrados, afinal, é o segundo ano consecutivo que vivemos essa realidade.

A pandemia pode até nos impor muitos limites. Mas não podemos nos deixar vencer por ela. De maneira alguma o coronavírus poderá nos impedir de viver em comunidade. Temos como exemplo perfeito de comunidade a Trindade. Foi a esta comunidade que a Virgem Maria se configurou.

Assim o presbítero reza no prefácio dos domingos do tempo comum VIII: “Vossa Igreja reunida pela unidade da Trindade, é para o mundo o Corpo de Cristo e o Templo do Espírito Santo, para a glória da vossa sabedoria”.

Para a glória da sabedoria do Pai, nos reunimos em comunidade em nome de Jesus, para que no Espírito Santo, se realize em nossas vidas a alegria da vivência em comunidade, não somente física, mas também espiritualmente.

Unidos à Trindade Santa, a comunidade perfeita que nos dá, pela participação nos sacramentos da Igreja, a virtude da Esperança, para que assim vivendo em comunidade, nestes tempos a que chamamos difíceis, possamos superar o egoísmo e o medo que nos paralisam.

A Virgem Maria, a Senhora do Desterro, interceda por nós, para que possamos na Esperança em Deus, física ou espiritualmente, buscar sempre viver em comunidade.     

No Espírito de Jesus,

Pe. Márcio Felipe de Souza Alves 
Cura da Catedral N. Sra. do Desterro 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

brasao-pb

© 2019 Catedral Nossa Senhora do Desterro – Jundiaí – SP
Desenvolvido por LAB Brasil Comunicação