“Sai da tua terra, e vai para a terra que vou te mostrar” (Gn 12,1).

Amados devotos da Senhora do Desterro, alegria e paz.

            Motivado por esta palavra, com que Deus toca o coração de Abraão, sinto-me impulsionado a dirigir-me a vocês, agentes de pastorais, coordenadores de movimentos e associações, neste momento em que sou chamado por Jesus, a lançar as redes para águas mais profundas (cf. Lc 5,4).  

            Em aproximadamente três anos, tivemos a oportunidade de conviver. Em meu apostolado, sempre amparado pelos meus caros colaboradores mais diretos, isto é, meu irmão Padre Wellington, o Diác. Arnaldo, o Seminarista Guilherme, as amadas secretárias, bem como, todos vós, cristãos leigos e leigas, tive a alegria de cumprir o mandato de Jesus neste imenso campo de missão: a Catedral Nossa Senhora do Desterro!

            As celebrações das eucaristias, o árduo atendimento de confissões e aconselhamentos, os encontros com as comunidades do caminho neocatecumenal, a intercessão do Grupo de Oração AVIVA, a evangelização de rua com a comunidade de jovens da COCA, o trabalho voraz dos casais do ECC, as liturgias sempre impecáveis, o magnífico trabalho espiritual e social da Pastoral Maria de Magdala, a oração dos membros da Irmandade do Santíssimo Sacramento, sempre foram marcantes em nossa comunidade paroquial.

            Cumprindo o que Deus me pede: “Sai da tua terra, e vai para a terra que vou te mostrar” (Gn 12,1), certamente parto desta Catedral levando todos vocês em meu coração, nas minhas orações.

Peço-lhes encarecidamente: acolham aquele que chega com o mesmo entusiasmo com que vocês acolheram os meus predecessores, e, a mim, para esta missão tão árdua, e que exigirá, e muito, do padre Adriano: ser o cura da Catedral!

Desejo, de coração, ao padre Adriano, bom êxito em seus trabalhos administrativos e pastorais frente aos desafios próprios da Catedral, que está imersa nesta cultura urbana, e que exigirão do novo cura, bem como de todos vocês, disponibilidade para levar a termo a obra de evangelização.    

O nosso testemunho é fundamental. Portanto, não nos esqueçamos nunca de nos comprometer com Jesus Cristo, que fez aos discípulos da primeira hora, e também a nós este pedido: “Ide, pois, e fazei discípulos todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-os a observar tudo o que vos ordenei. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mt 28,19-20).   

Eis o caminho para que nos preocupemos com as coisas do céu, sem nos descuidarmos das coisas da terra: o milagre do encontro, para que proporcione a escuta, e, por sua vez, gere o discernimento que transforma o coração dos que buscam a Deus.

No Espírito de Jesus,

Pe. Márcio Felipe de Souza Alves
Pároco e Reitor nomeado da Paróquia
Santuário Santa Rita de Cássia

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

brasao-pb

© 2019 Catedral Nossa Senhora do Desterro – Jundiaí – SP
Desenvolvido por LAB Brasil Comunicação